One Team

Ainda vai a tempo!

Dicas para poupar no IRS 2016

Esta fase de final do ano é o último momento, a última oportunidade, para rentabilizar ao máximo a sua declaração de IRS de 2016.


É importante que conheça quais as deduções específicas que são aceites em sede de IRS, por forma a apresentar o maior número de despesas para cada uma das categorias contempladas. Educação, saúde, habitação, lares, pensões de alimentos são as despesas normalmente com maior expressão, mas há outro tipo de despesas que poderão ser consideradas! Apresentamos-lhe algumas dicas e novidades relativas à declaração deste ano, com as quais ainda conseguirá poupar no seu imposto!


 SABIA QUE...


  •  Despesas de Educação e Formação Profissional

Dedução de 30% das suas despesas com o limite de €800 por agregado familiar*.

Só são aceites despesas de educação isentas de IVA ou tributadas com taxa reduzida de 6% (exclui, por isso, material escolar) e faturas emitidas por empresas com CAE (classificação das Atividades Económicas) neste setor. Assim, além das despesas com mensalidades, propinas e Livros escolares, ainda vai a tempo de incluir as relativas a atividades extracurriculares, explicações e amas dos seus filhos e os custos com as suas próprias ações de formação e de especialização, de âmbito profissional!

 *Máximo total de despesas que é considerado = €2 667


  • Despesas de Saúde 

Dedução de 15% das suas despesas com o limite de €1000*.

Para os gastos de saúde tributados à taxa normal de IVA (23%) deverá apresentar receita médica, de outra forma não serão consideradas nas deduções de Saúde. Além das consultas, hospitalizações, tratamentos, fisioterapia, óculos e lentes oftálmicas, medicamentos, ? não esqueça de documentar, se for o caso,  os prémios de seguros de saúde e contribuições para instituições sem fins lucrativos prestadoras de cuidados de saúde que o cubram a si ou os seus dependentes, pois são também contempladas. Se tem despesas de saúde no estrangeiro documentadas (fatura ou equivalente), estas também podem ser consideradas mas terá que as colocar manualmente. No campo Registar Faturas do E-fatura, procure a opção do registo de faturas emitidas no estrangeiro e insira os seus  elementos.

*Máximo total de despesas que é considerado = €6 667


  • Fundos de Poupança-Reforma e Planos de Poupança Reforma        

Dedução de 20% do valor que foi aplicado (não são considerados os valores aplicados após a data de passagem à reforma).

Confira os limites! Pessoas com idade:

inferior a 35 anos-  €800 (casado); €400 (não casado)

entre 35 e 50 anos- 700€ (casado); €350 (não casado)

superior a 50 anos- €600 (casado); €300 (não casado)


  • Donativos

Dedução de 25% do valor dos donativos feitos à:

Administração Central, Regional ou Fundações (com condições) - sem limite.

Outras entidades - até ao limite de 15% da coleta (casado ou não casado).



E AINDA, SABIA QUE...


Pode obter um benefício máximo de 500 euros no seu IRS com as suas despesas gerais e com as despesas relativas a determinados serviços?

Vamos a contas:


  • DESPESAS GERAIS FAMILIARES (supermercado, eletricidade, água, telecomunicações, viagens, mobiliário, ?)*

 Benefício máximo de €250 (€500 casal).

Corresponde a uma dedução até 35% das despesas suportadas por qualquer membro do agregado; máximo de €335 para famílias monoparentais (corresponde a uma dedução até 45%).

 *Máximo total de despesas que é considerado = €715


  • SERVIÇOS (oficinas, hotéis, cabeleireiros, restauração, alojamento)

 Máximo €250 por agregado familiar*

Corresponde a 15% de dedução do total do IVA das faturas validadas relativas a qualquer membro do agregado. Se tem animais esteja atento a esta novidade: a s despesas veterinárias são incluídas para redução à coleta do IRS 2016.

 *Máximo total de despesas que é considerado = €9 000




A VALIDAÇÂO DAS FATURAS

Mas não basta ter comprovativos das despesas com o seu número de contribuinte e do restante agregado, para lhe serem atribuídos os benefícios e deduções previstos. Não deixe para a última, Valide as faturas. Otimize o seu reembolso e poupe no IRS!

Vamos ver como:

Passo 1 - Registe-se em Serviços Financeiros, no portal das finanças. Peça a sua senha de acesso e a de cada elemento do agregado, caso ainda não a tenham.

Passo 2 - Aceda à sua página pessoal no portal E-fatura  

Passo3 - Confirme se as faturas foram devidamente comunicadas e inseridas na respetiva categoria. Valide as faturas. Complemente as informações em falta (nomeadamente o setor de atividade) nas faturas pendentes, de outra forma não serão contabilizadas pelo fisco.

Passo 4 - Especifique se a despesa está relacionada com a sua atividade profissional, caso trabalhe como independente (seja em exclusividade ou não).

Passo 5 - Associe as receitas, se as tiver, às despesas de saúde sujeitas a 23% IVA, de forma a serem consideradas como tal.

Passo 6 - Insira manualmente outras despesas com comprovativo, que não constem no portal.